Trader, as Principais manchetes para essa Quinta Feira

08 jun 2017

Principais manchetes do dia

Brasil

·         O IPC-S da primeira semana se junho veio ligeiramente abaixo dos 0,41% estimado pelo mercado, desacelerou de 0,52% no fechamento de maio para 0,39%¨. Nesta base de comparação, Alimentação segue no mesmo patamar, passou de -0,26% para -0,27%, Habitação passou de 1,71% para 1,20%, Vestuário desacelerou de 0,70% para 0,56%, Saúde não apresentou grandes alterações, de 0,75% para 0,73% e Transportes arrefeceu de 0,08% para 0,01%. Entre os grupos que avançaram estão Despesas Diversas, de 0,48% para 0,53%, Comunicação, de 0,28% para 0,30%, e Educação, de -0,08% para 0,15%. Entre a principais influências positivas estão a tarifa de energia residencial (6,80%), condomínio (1,98%) e plano e seguro de saúde (0,98%). Entre as principais influências negativas estão tomate (-12,33%), laranja-pera (-13,11%) e etanol (-2,54%).

·         Ontem, a Petrobrás anunciou pela manhã nova política de preços para às distribuidoras do Gás Liquefeito de Petróleo comercializado em botijões de até 13 kg e de uso residencial (GLP-P13) não terá como referência a paridade de preços internacionais e está em linha com os parâmetros do Planejamento Estratégico 2017/2021. As correções de preços ocorrerão todo dia 05 de cada mês, com exceção este mês de junho, com vigência a partir de hoje. A aplicação da nova fórmula de preços para o GLP-P13 implicará um aumento médio nas refinarias de 6,7% no produto este mês. Se for integralmente repassado aos preços ao consumidor, a companhia estima que o botijão pode subir em média, 2,2% ou R$ 1,25/botijão. Isso tem um impacto de  +0,02 ponto percentual no IPCA.

·         Na agenda de eventos, segue como destaque o julgamento da chapa eleitoral Dilma-Temer no Tribunal Superior Eleitoral (TSE), hoje com três sessões para o dia (9h, 14h e 19h). Fora isso, no Congresso, a Comissão de Assuntos Sociais (CAS) do Senado reúne-se às 9h00 para apresentação do relatório do senador Ricardo Ferraço sobre a reforma trabalhista.

China

·         A balança comercial da China mostrou superávit de US$ 40,81 bilhões em maio, abaixo dos US$ 47,8 estimado pelo mercado, mas acima dos US$ 38 bilhões registrado em abril. As exportações cresceram acima do esperado, a expectativa era 7,2% YoY, mas cresceu 8,7% YoY em maio. As importações cresceram 14,8% YoY, muita acima dos 8,3% YoY, o que contribui para os países que tem a China como um dos principais parceiros comerciais, como é o caso do Brasil. Quanto às importações de commodities, na comparação dos primeiros quatro meses deste ano com mesmo período no ano passado (YoY% YTD), apenas o volume do cobre e produtos refinados de petróleo mostraram quedas, -20,3% e -4,3%, respectivamente. As demais commodities mostraram avanço nesta medição: carvão (29,6%), petróleo (13,1%), minério de ferro (7,9%), soja (19,8%) e óleo combustível (8,2%).

·

·         Nesta noite, serão divulgados dados de inflação, estima-se altas de 1,5% YoY para a inflação ao consumidor (CPI) e 5,6% YoY para a inflação ao produtor (PPI)..

Estados Unidos

·         Agenda de indicadores fraca, nada além dos dados semanais de seguro desemprego às 9h30. O destaque fica para a agenda de eventos, às 11h00 no Senado tem o depoimento do ex-diretor do FBI, James Comey, sobre suposta interferência da Rússia durante a campanha presidencial dos EUA do ano passado.

Europa

·         Daqui a pouco (9h45) sai a decisão de política monetária da Zona do Euro. A expectativa é de manutenção da taxa de depósito em -0,4%, da taxa de juros em 0,0% e das compras em €60 bilhões. As mudanças esperadas são na comunicação do Banco com o Público, diante da melhora no cenário de atividade no Bloco neste primeiro semestre de 2017. Os investidores acreditam que os dirigentes devem suprimir os termos dovish da comunicação, como, por exemplo, a indicação de mais cortes de juros ou de extensão das compras dos ativos, caso haja necessidade. Ontem, contudo, surgiram rumores de que o Banco revisará seu cenário de inflação para baixo, o que corroboraria com mais expansionismo. Portanto, a decisão, seguida do pronunciamento do presidente da instituição, Mario Draghi, 45 minutos depois, são eventos de destaque esta manhã.

·         Mais cedo, hoje, a Eurostat revisou o PIB do primeiro trimestre da Zona do Euro, para cima, com a leitura final registrando +0,6% QoQ e +1,9% YoY. O crescimento do Bloco foi influenciado positivamente por diversos países do Leste Europeu, que registraram crescimento no trimestre acima de 1%, enquanto economias importantes como Reino Unido, França, Italia e Holanda tiveram crescimento aquém do nível do Bloco.

Reino Unido

·         Hoje é dia de eleições parlamentares no Reino Unido, e a libra opera em alta esta manhã, por conta de as últimas pesquisas terem apontado vitória dos Conservadores, ainda que com a maior volatilidade registrada desde o referendo do Brexit, em junho do ano passado. Após um período de crescimento dos Trabalhistas nas pesquisas, que assustou os investidores, agora o mercado precifica a estabilidade da liderança mostrada pelas pesquisas mais recentes, com a primeira ministra Theresa May garantindo sua governabilidade ao longo do processo de saída do Reino Unido da União Europeia que ela conduzirá.

Mercados e Commodities

·         Os mercados asiáticos fecharam sem direção definida, com os investidores ainda na expectativa pelos eventos desta quinta-feira. Nesta manhã tem decisão de política monetária do Banco Central Europeu (BCE) e hoje acontece a eleição parlamentar no Reino Unido. Tóquio caiu 0,38%, o iene desvalorizou 0,25% frente ao dólar, Hong Kong subiu 0,34%, Shanghai avançou 0,32% e na Oceania, Sydney subiu 0,17%. Os mercados europeus também ficam na expectativa pelos eventos, quanto à reunião do BCE, os investidores aguardam as alterações no comunicado que podem mostrar se a instituição será mais ou menos “dovish”. Fora isso, nesta manhã o PIB melhor que o esperado para região do euro, também injetou otimismo. Os futuros de Nova York operam em alta, seguindo os sinais da Europa.

·         Os contratos futuros do petróleo operam no negativo, os primeiros vencimentos do Brent e WTI exibem perdas de 0,54% e 0,52%, respectivamente, às 8h25. O contrato futuro do minério de ferro na China, pelo Dalian Commodity Exchange, caiu 1,97%. O primeiro vencimento do cobre mostrava alta de 0,92%, às 8h27, na London Metal Exchange.

Fonte: CM Capital Markets

Artigo Relacionado

Share

Edu Moraes
Edu Moraes

error: Content is protected !!