Trader, As Principais manchetes desta Sexta Feira

09 jun 2017

Principais manchetes do dia

Brasil

·         O IPC-FIPE da primeira semana se junho mostrou deflação de 0,10%, a mediana das expectativas projetava -0,05%. Na comparação entre o fechamento do índice, quando apontou -0,05%, com a primeira semana, destaque para a intensificação da deflação de Alimentação, de -0,21% para -0,51%, e desaceleração dos grupos Transportes, de 0,31% para 0,02%, Vestuário, de 0,12% para -0,01% e Saúde, de 0,72% para 0,61%. Despesas Pessoais permaneceu no mesmo patamar, de 0,12% para 0,11%, e Habitação desacelerou a deflação de -0,36% para -0,13%.

·         A primeira prévia do IGP-M de junho mostrou -0,51% MoM, deflação acima dos -0,31% MoM previsto pelo mercado. Os preços ao consumidor (CPI) subiram 0,23% MoM, destaque para a deflação de Alimentação (-0,17%), de Educação (-0,57%) e de Transportes (-0,15%). Na contramão, destaque para as alta de Saúde (1,05%), Comunicação (0,79%), e Habitação (0,57%). Os preços ao produtor (IPA) seguem em deflação, passaram de -1,60% MoM para -1,45% MoM, os agropecuários recuaram menos, passaram de -3,97% para -1,87%, e o industriais recuaram mais, de -0,75% para -1,31%.  Entre as principais influências positivas estão o feijão (52,57%) e a soja (2,21%), já entre as negativas destaque para o minério de ferro (-17,19%) e a cana de açúcar (-2,30%). Os custos da construção civil (INCC) passaram de -0,09% MoM para 0% MoM.

·         Na abertura, os investidores ficam atentos ao IPCA de maio, o mercado projetou +0,47% MoM e a CM Capital estimou +0,37% MoM. No restante do dia, seguem as atenções com o quarto dia do julgamento da chapa Dilma-Temer no Tribunal Superior Eleitoral (TSE), pode ser anunciada ainda hoje a decisão. Por enquanto, prevalece a expectativa de que Temer permanecerá no cargo com 4 votos a 3. Ontem, quando 4 dos 7 ministros se manifestaram contra o uso dos depoimentos da Odebrecht, os investidores aumentaram as crenças nessa possibilidade.

China

·         Foram divulgado dados de inflação na última noite, em geral vieram melhores do que o esperado pelo mercado. A inflação ao consumidor (CPI) avançou 1,5% YoY em maio, acima dos 1,2% YoY em abril, excluindo os preços dos alimentos a alta foi de 2,3% YoY. A inflação de serviços avançou 2,9% YoY e a de bens de consumo subiu 0,7% YoY. Os preços ao produtor (PPI) desacelerou de 6,4% YoY em abril para 5,5% YoY em maio.

Estados Unidos

·         Na agenda de indicadores, nada de relevante, apenas dados de estoque e vendas no atacado em abril, às 11h00. Nada previsto na agenda de eventos.

Europa

·         Hoje na Europa a agenda está vazia, e o aftermath das eleições no Reino Unido estão “roubando a cena” esta manhã. Teve apenas Balança Comercial na Alemanha, com superávit de €19,8 bilhões., abaixo dos €20,3 bi esperados para abril. O resultado foi pior em função de um aumento das importações (1,2% MoM) superior ao aumento das exportações (0,9% MoM).

Reino Unido

·         Hoje a libre abriu desvalorizando por conta do resultado das eleições parlamentares por lá, ontem à noite. Para garantir a maioria e formar um governo, o Partido Conservador precisaria garantir 326 assentos, o que não aconteceu, pois o partido da primeira ministra Theresa May conquistou apenas 318 (uma perda de 12 assentos). O partido Trabalhista aumentou sua representatividade em 12 assentos, ficando com 261. Com esse resultado, diversas incertezas voltaram a se destacar por lá esta manhã, como a possibilidade de novas eleições em alguns meses, ou ainda de um novo referendo do Brexit, caso o planejamento de May, de sair da União Europeia “de uma vez por todas” e tão logo for possível não corra da maneira como se espera.

·         Esta manhã, os rumores de que o Partido Unionista Democrático (DUP), que garantiu 10 assentos no parlamento (aumentando em dois), poderia formar uma coalizão com os Conservadores, acalmou um pouco os agentes, ainda que a maioria permaneça cética com a possível união. Uma fonte do DUP disse mais cedo que eles querem “[…] que haja um governo. [Eles] têm trabalhado bem com May. Qualquer alternativa seria intolerável”. No entanto a representatividade do DUP, tanto pelo número de assentos, quanto pela região de interesse dos representantes, coloca em dúvida se a coalizão anunciada conseguirá administrar alguns problemas mais sensíveis, em termos de economia e planos de bem estar, do governo.

1 Fonte: The Guardian

·         Além do resultado das eleições, tivemos por lá a produção industrial de abril, bem pior do que o esperado, em mais um sinal de que a atividade no Reino Unido está desacelerando este ano. Na métrica que inclui as indústrias de energia e mineração, registrou-se variação de +0,2% MoM e -0,8% YoY, e , excluindo-se esses setores, as variações foram de +0,2% MoM e 0,0% YoY. Também saiu a Balanaça Comercial, com déficit de £2,05 bilhões em abril.

Mercados e Commodities

·         Os mercados asiáticos fecharam majoritariamente no positivo, influenciados pelos resultados preliminares da eleição no Reino Unido e pelos dados de inflação. Shanghai subiu 0,26%, exibiu a quarta alta consecutiva, Hong Kong caiu 0,13%, Seul avançou 0,77% e Tóquio ganhou 0,52%. Na Oceania, Sydney subiu 0,02%.

·         Os mercados europeus operam majoritariamente em alta, aproveitando as oportunidades deixadas pelas últimas baixas. Além disso, a queda da libra e do euro, justificadas pelo fato da primeira-ministra Theresa May não ter conseguido maioria para formar o governo, também contribui para alta das ações. Os futuros de Nova York operam no positivo, amparados na avaliação que os investidores fizeram da fala do ex-diretor do FBI, James Comey. Os investidores acreditam que não houveram surpresas que alterassem o humor dos negócios para Donald Trump.

·         Os contratos futuros do petróleo operam no positivo, os primeiros vencimentos do Brent e WTI exibem altas de 0,22% às 8h14. A commodity ainda é influenciada pelo desequilíbrio entre oferta e demanda.

·         A cotação do minério de ferro no porto de Qingdao fechou com queda de 1,72%. O contrato futuro do minério de ferro na China, pelo Dalian Commodity Exchange, caiu 1,40%. O primeiro vencimento do cobre mostrava alta de 0,59%, às 8h26, na London Metal Exchange, a produção no Chile foi interrompida devido precipitações de neve e fortes ventos.

Fonte: CM Capital Markets

Artigo Relacionado

Share

Edu Moraes
Edu Moraes

error: Content is protected !!