Principais manchetes para essa Quinta Feira

24 ago 2017

Principais manchetes do dia

Brasil

·         Destaque na abertura para a votação da MP que cria uma nova taxa de juros que balizará os empréstimos do BNDES, a Taxa de Longo Prazo (TLP), no plenário da Câmara às 9h00. Sem quórum suficiente para seguir com os trabalhos durante a madrugada, o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM), adiou para esta quinta-feira a votação. Entretanto, o placar de ontem da comissão mista, 17 a 6, foi considerado confortável, aumentando a confiança entre investidores na aprovação.

·         Ontem, Rodrigo Maia adiou pela terceira vez a discussão sobre os principais pontos do texto da reforma política que são a criação de um fundo destinado ao financiamento de campanha e a modificação no sistema eleitoral. A verba para a campanha foi o último tópico votado na quarta-feira. No parecer do relator Vicente Cândido, o valor do fundo corresponderia a 0,5% da receita corrente líquida em 12 meses, em 2018 corresponderia a R$ 3,6 bilhões. Dada as críticas da sociedade, a proposta perdeu apoio dos parlamentares e acabou sendo rejeitada no plenário da Câmara por 441 deputados. Na próxima semana deve ser votado um destaque que sugere que o valor do fundo eleitoral seja definido pela Comissão Mista do Orçamento (CMO) no ano anterior da disputa eleitoral. Nesta sessão a Câmara também retirou o trecho que propunha mandato de dez anos para os ministros do Supremo Tribunal Federal (STF). Foram 25 votos a favor da decisão e 114 votos contrários. Agora, este tema não será votado junto com a reforma e tramitará em outra PEC.

·         O  Banco Central divulga os dados de Política Monetária e Operações de Crédito às 10h30.

Estados Unidos

·         A agenda de indicadores começa às 11h00 com Vendas de Imóveis Usados, estimado em 0,5% para julho, e às 12h00 será divulgado o Índice do Federal Reserve de Kansas em agosto.

·         No noticiário, vale destacar que o Departamento de Energia (DoE) dos Estados Unidos comentou que o governo dos EUA deve afrouxar regras ambientais para usinas de energia. O DoE disse que o governo deve facilitar e baratear as operações em usinas de energia – incluindo plantas de carvão e nucleares -para fortalecer a rede elétrica do país. Também segue repercussões do comentário polêmico de Donald Tump, de fechar o governo por causa do seu prometido muro na fronteira com o México. A secretária de imprensa Sarah Huckabee Sanders disse a jornalistas a bordo do Air Force One que Trump “não fez segredo” de que a construção do muro era uma prioridade. Ela disse que o republicano mal pode esperar para trabalhar com o Congresso para ver o muro em pé.

Europa

·         Agenda esvaziada na Zona do Euro, contando com o PIB da Espanha, que confirmou as expectativas e variou 0,9% QoQ e 3,1% YoY, e o Business Climate na França, melhor do que o esperado, avançando para 111 pontos, ante expectativa de manutenção dos 108 pontos da medição anterior.

Reino Unido

·         A leitura final do PIB do Reino Unido veio em 0,3% QoQ, em linha com o que indicou a prévia. No YoY, o resultado foi de 1,7%. As revisões vieram nas aberturas por setores, com os Serviços crescendo 0,5% QoQ, a maior alta. Indústria variou -0,3% QoQ, Construção Civil -1,3% YoY e agricultura, -0,4% QoQ. Pela ótica da demanda, os investimentos surpreenderam negativamente na divulgação de hoje, permanecendo no mesmo patamar (0,0% QoQ), quando a expectativa era de alta de 0,4%. Apenas investimentos em Bens de Capital tiveram alta, de 0,7% QoQ. O índice de Serviços veio em linha com o esperado, em 0,3% 3M/3M no período terminado em julho.

Mercados e Commodities

·         Os mercados asiáticos fecharam sem direção definida pela quarta sessão consecutiva, em meio a renovadas preocupações com o governo Trump e à espera dos discursos em Jackson Hole. O presidente dos EUA, Donald Trump, ameaçou “fechar o governo”, ou seja, paralisar as atividades federais caso o financiamento para a construção de um muro na fronteira com o México não esteja previsto no Orçamento a ser aprovado pelo Congresso americano. Nova York fechou no negativo na última sessão, os investidores ficaram avessos ao risco. Nesta manhã, os futuros de Nova York apontam para abertura no positivo, na Europa os mercados acionários operam em alta. Quanto à Jackson Hole, os discursos de Mario Draghi e Janet Yellen serão apenas amanhã. Na Oceania, a bolsa australiana foi impulsionada por papéis de mineradoras.

·         Os contratos futuros do petróleo operam no negativo, na última sessão fecharam com alta acima de 1% devido aos dados de estoques dos EUA. Ontem, o Departamento de Energia (DoE) dos EUA estimou queda nos volumes estocados de petróleo, gasolina e destilados na última semana. O cobre opera em alta com o investidores aguardando as repercussões do início do simpósio em Jackson Hole. Os metais básicos operam sem tendência única.

Artigo Relacionado

Share

Edu Moraes
Edu Moraes

error: Content is protected !!