As Principais Manchetes para essa Quinta Feira 23/11/2017

23 nov 2017

  Brasil

  • O IPC-S da terceira quadrissemana veio acima do 0,30% estimado pelo mercado, apontou 0,32% contra 0,30% na última medição. Entre os grupos, Alimentação passou de -0,12% para -0,19%, Habitação passou de 0,75% para 0,80%, Transportes acelerou de 0,66% para 0,79% e Educação migrou de -0,32% para 0,01%.
  • Ainda na agenda de indicadores, às 9h00 será divulgado o IPCA-15 de novembro, estimado pelo mercado em 0,39% MoM e 2,83% YoY. Às 10h30 tem dados de contas externas em outubro, para Conta Corrente o mercado estima déficit de US$ 900 milhões e para Investimento Estrangeiro Direto é esperado saldo positivo em US$ 7 bilhões.
  • Os agentes seguem atentos às negociações políticas em torno da Previdência. Em meio aos esforços, o presidente Michel Temer prometeu liberar em dezembro uma verba extra de R$ 2 bilhões para prefeituras e câmaras de vereadores, segundo Paulo Ziulkoski, presidente da Confederação Nacional dos Municípios (CNM), que esteve na noite desta quarta-feira no Palácio do Planalto. Também circulam notícias que o governo poderia reajustar os salários dos servidores federais em 2018 para garantir a aprovação da Reforma da Previdência Social. O novo texto da Reforma da Previdência Social, apresentado ontem, não trouxe novidades em relação ao que já havia sido cogitado pelo mercado. Foram mantidas: i) idade mínima de 65 anos para os homens e 62 anos para as mulheres, e ii) a regra de transição e a equiparação entre os servidores públicos e os da iniciativa privada.

Estados Unidos

  • Nada previsto nesta quinta-feira (23) devido ao Thanksgiving Day, na sexta-feira (24) serão divulgadas as prévias para novembro do PMI de manufaturados e serviços, estimados em 55 e 55,3, respectivamente.

Reino Unido

  • O Produto Interno Bruto (PIB) do Reino Unido cresceu 0,4% QoQ e 1,5% YoY, segundo a prévia para o 3° trimestre, em linha com o estimado pelo mercado e com a primeira leitura. A libra reduziu as perdas logo após a divulgação.

Zona do Euro

  • A leitura final do Produto Interno Bruto (PIB) da Alemanha, referente ao 3° trimestre, veio em linha com o estimado, 0,8% QoQ e 2,8% YoY, e também em linha com as prévias. A agência de estatística do país informou que os investimentos em fábricas e maquinário avançaram 1,5% no terceiro trimestre ante o segundo, enquanto as exportações e importações subiram 1,7% e 0,9%, respectivamente. Por outro lado, o consumo do governo alemão ficou estável na mesma comparação, enquanto o consumo de famílias diminuiu 0,1%.
  • O PMI de manufaturados da Alemanha veio acima do 60,4 estimado pelo mercado, apontou 62,5 na prévia de novembro contra 60,6 em outubro. O PMI de serviços avançou de 54,7 em outubro para 54,9 em novembro, a expectativa do mercado era 55 pontos. O PMI de manufaturados da França avançou de 56,1 em outubro para 57,5 na prévia de novembro, e o PMI de serviços passou de 57,3 para 60,2, ambas as medições acima do esperado. Para a região do euro os números também surpreenderam, o PMI de manufaturados avançou de 58,5 para 60 na prévia de novembro e serviços passou de 55 para 56,2, com o PMI Composto avançando de 56 para 57,5 na prévia de novembro.
  • A agenda de eventos da Europa traz como destaque a ata da última reunião de política monetária do Banco Central Europeu (BCE), às 10h30.

Mercados e Commodities

  • Os mercados asiáticos fecharam majoritariamente em queda. Os mercados chineses foram influenciados pelos recentes esforços de Pequim para regular serviços financeiros. Nos últimos dias, autoridades chinesas tomaram providências para impedir a forte expansão da oferta de microcrédito na internet e revelaram planos de reforçar a supervisão de produtos de gestão de ativos vendidos por instituições financeiras. Também há preocupações com o mercado chinês de bônus, que contribuíram para a liquidação nas bolsas do país. Tóquio ficou fechado para feriado. Os investidores por lá também digeriram a ata do FOMC, divulgada ontem, onde o Federal Reserve sinalizou a intenção de elevar os juros pela terceira vez esse ano, ao mesmo tempo em que revelou preocupação com a tendência de inflação baixa nos EUA. Na Oceania, Sydney ficou estável, a queda dos bancos foi compensada pelo desempenho das petrolíferas e mineradoras.
  • Os mercados europeus operam sem direção definida, o ritmo dos negócios é comprometido às vésperas do feriado de Ação de Graças nos EUA.
  • Os contratos futuros do petróleo operam em queda, após subirem na última sessão, influenciado pelos dados do Departamento de Energia (DoE).

Artigo Relacionado

Share

Edu Moraes
Edu Moraes

error: Content is protected !!