As Principais manchetes para essa Quarta Feira 29/11/2017

29 nov 2017

  Brasil

  • O IGP-M de novembro veio acima do 0,45% MoM estimado pelo mercado, avançou 0,52% MoM. Em doze meses caiu 0,86%. Os preços ao consumidor (CPI) seguiram no patamar de 0,28% MoM, entre os grupos, Alimentação voltou para o negativo, de 0,18% para -0,19%, Transportes avançou de 0,15% para 0,62%, e Habitação passou de 0,31% para 0,77%. Os preços ao produtor (IPA) avançaram de 0,16% MoM para 0,66% MoM, com os agropecuários desacelerando de 0,76% para 0,61% e os preços industriais avançando de -0,03% para 0,68%. O índice nacional da construção civil avançou de 0,19% para 0,28%.
  • O resultado do Setor Público será divulgado às 10h30, a expectativa do mercado é um superávit de R$ 4,1 bilhões e razão entre Dívida Líquida e PIB caindo de 50,9% para 50,7%. Às 12h30 temo Fluxo Cambial entre 20 e 24 de novembro, até 17 de novembro foi registrada a saída de US$2,012 milhões no mês.
  • No Congresso, destaque para articulação de um novo programa de parcelamento de dívidas tributárias (Refis), desta vez para micro e pequenas empresas. Segundo o Estadão/Broadcast apurou, o impacto é estimado em R$ 7,8 bilhões nos 15 anos de duração do novo parcelamento proposto. A equipe econômica é contrária ao projeto e trabalha para que ele não seja aprovado.

Estados Unidos

  • Destaque para a segunda leitura do PIB referente ao 3° trimestre, às 11h30, o mercado estima uma correção de 3% QoQ para 3,2% QoQ, na leitura anualizada. Às 13h00 será divulgado Vendas de Imóveis Residenciais Pendentes, com expectativa de 1,1% MoM em outubro, e no fim da tarde, às 17h00, o Federal Reserve divulgará o Livro Bege, que descreve o cenário com o qual os dirigentes do comitê de política monetária irão trabalhar na reunião entre 12 e 13 de dezembro, quando o mercado precifica com probabilidade de 92,3% a elevação dos juros para o patamar entre 1,25% e 1,5%.

Zona do Euro

  • Na agenda de Alemanha, às 11h00 destaque para a divulgação do Índice de Preços ao Consumidor (CPI), com expectativa de 0,3% MoM e 1,7% YoY na prévia de novembro.
  • Na França foi divulgada a leitura preliminar para o PIB do 3° trimestre, o mercado estima alta de 0,5% QoQ e 2,2% YoY, em linha com a leitura anterior e com o estimado pelo mercado. O gasto com consumo em outubro, também divulgado mais cedo, contraiu muito além do -0,1% MoM estimado pelo mercado, caiu 1,9% MoM e -0,6% YoY.
  • O Índice de Confiança da Zona do Euro avançou de 114,1 em outubro para 114,6 em novembro, em linha com o estimado pelo mercado. O Índice de mensura a condição dos negócios avançou de 1,44 para 1,49. Os setores da indústria e serviços mostraram uma elevação no nível da confiança, enquanto a confiança do consumidor ficou estável.

Mercados e Commodities

  • Os mercados asiáticos fecharam majoritariamente em alta, com os invstidores ponderando os recordes em Nova York e o último teste de míssil da Coreia do Norte. Ontem, os mercados acionários dos EUA fehcaram em patmar inédito diante a aprovação da reforma tributária apresentada pelos senadores republicanos no Comitê de Orçamento do Senado. Na China, a bolsa terminou com ganhos após apagar as perdas do início da sessão. Há suspeita de que fundos controlados pelo governo estariam ajudando a sustentar os mercados, após fortes quedas recentes das ações chinesas. Nesta noite, a China irá divulgar índices de atividade oficiais de indústria e serviços. Tqóuio subiu, apesar da Coreia do Norte ter testado um novo míssil balístico que caiu no litoral do Japão. O regime norte-coreano informou que o míssil tem capacidade de atingir qualquer parte do território dos EUA. Seul foi influenciado pela queda da Samsung. Na Oceania, Sydney foi impulsionada pelas ações de grandes bancos.
  • Os mercados europeus operam em alta dando continuidade ao movimento da véspera tanto na Europa quanto nos EUA. Londres é escessão, o presidente da London Stock Exchange, Xavier Rolet, renunciou a pedido do conselho, após uma longa crise de governança. Fora isso, o destaque no noticiário é a proximidade de um acordo entre o Reino Unido e a União Europeia (UE) em torno do montante a ser pago pelos britânicos para deixar o bloco que mais domina os negócios. A libra esterlina avança nesta manhã, ainda que a avaliação da imprensa local seja a de que os britânicos tenham se curvado às exigências da UE. O Financial Times comentou que o Reino Unido poderá assumir passivos de até 100 bilhões de euros do bloco, ainda que o pagamento líquido ao longo de décadas deva girar em torno de metade desse montante. Há perspectiva de que o anúncio oficial seja feito na próxima semana pela primeira-ministra Theresa May, ainda que as cifras possam ainda não ser reveladas. Na Espanha, o Santander anunciou mudanças em sua diretoria executiva e amortização de ágio de 600 milhões de euros, que será reconhecida no balanço do quarto trimestre.
  • Os contratos futuros do petróleo operam no negativo. Ontem, o American Petroleum Institute (API) estimou que o volume de petróleo bruto estocado nos EUA cresceu 1,8 milhão de barris na última semana. O estoque de destilados expandiu e o de gasolina mostrou queda. O Departamento de Energia (DoE) divulgará os dados oficiais às 13h30, o mercado estima uma queda de 2,9 milhões de barris no estoque de petróleo.

Artigo Relacionado

Share

Edu Moraes
Edu Moraes

error: Content is protected !!