As Principais manchetes do dia

26 jun 2017

Principais manchetes do dia

·         Por aqui, hoje, a FGV divulgou a Confiança do Consumidor de junho, com retração, de 84,2 pontos para 82,3. No campo político, continuam as indecisões da semana passada, com expectativa de aprovação da reforma trabalhista na CCJ na quarta-feira, e da revisão da meta de inflação de 2019 na quinta. No entanto, seguem as dúvidas sobre o trâmite da denúncia da PGR contra Temer, que deve ser oferecida hoje ao STF. O Supremo só pode processar o presidente com aprovação de 2/3 da câmara, e o governo torce para que essa etapa aconteça rapidamente, no intuito de resolver essa questão antes do início do recesso, dia 18 de julho. Quanto mais tempo demorar, maior a probabilidade de surgirem novas provas contra o presidente, o que reduziria seu apoio, aumentando a probabilidade de seu afastamento do cargo.

·         Na agenda tem a Dívida Pública Federal, hoje às 10h00. Amanha tem IPC-Fipe, quinta tem IGP-M final de junho e resultado do Governo Central. Sexta conheceremos o resultado do Setor Público e a taxa de desemprego da PNAD Contínua.

·         Focus: IPCA 2017 passou de 3,64 para 3,48%, 2018 passou de 4,33 para 4,30%. PIB 2017 passou de 0,40% para 0,39%, 2018 de 2,20% para 2,10%.

Estados Unidos

·         Na agenda dos EUA, hoje, tem Pedidos de Bens Duráveis, às 9h30. A expectativa é que tenha havido queda de 0,6% MoM em maio. Na agenda da semana, os destaques são o a fala da presidente do Fed, Janet Yellen, amanhã à tarde, e o PCE, que sai na sexta-feira no horário do almoço. O mercado buscará indícios sobre a possibilidade de haver (ou não) mais uma alta de juros ainda em 2017 por lá.

·         Fora isso, tem ainda esta semana os preços das residências da S&P/Case Shiller, amanhã, a Balança Comercial e o Pending Home Sales, quarta, a terceira revisão do PIB e o Continuing Jobless Claims, na quinta, e a Confiança do Consumidor de Michigan, na sexta.

Europa

·         Hoje os mercados abriram em alta por lá, otimistas com os índices de Confiança na Alemanha melhores do que o esperado e com o resgate de bancos na Itália. O IFO de Expectativas de junho avançou de 106,5 pontos para 106,8, a avaliação da situação atual passou de 123,3 para 124,1 e o Business Climate avançou de 114,6 para 115,1 pontos.

·         Na Itália, o governo autorizou o acordo de resgate aos Veneto Banca e Popolare di Vicenza, dois bancos declarados pelo Banco Central Europeu como “falidos ou com alta probabilidade de falir”. O maior banco de varejo Italiano, Intensa Sanpaolo, adquirirá os ativos “bons” das duas instituições com problemas, com auxílio do governo, que emprestará €5 bilhões e ainda oferecerá €12 bilhões em garantia para eventuais perdas decorrentes de “ativos tóxicos” que podem ser deixados para trás.

·         Ainda hoje, às 14h30, tem fala do presidente do BCE, Mario Draghi. Os investidores buscarão “dicas” sobre a possibilidade de estender, encerrar ou alterar o programa de compras de ativos na Zona do Euro.

·         Este final de semana, o presidente do BC da Alemanha, Jens Weidmann (que sempre se opôs ao QE Europeu), disse acreditar que está chegando a hora de o estímulo monetário se encerrar por lá, mas garantiu que tais conversas ainda não ocorreram no Conselho do BCE. Uma das principais preocupações do dirigente é que, em uma eventual extensão das compras, as regras do programa necessitariam ser revisadas, uma vez que elas permitem ao BCE adquirir no máximo um terço da dívida de cada país participante, limite próximo no caso da Alemanha, que tem uma dívida pequena. Abrir essa oportunidade de renegociar as regras poderia colocar o conselho sob pressão política, com os governos demandando um período mais prolongado do que o necessário de política monetária expansionista por lá.

·         Na agenda da semana tem mais uma fala de Draghi, amanhã de manhã, além de índices de Confiança do Consumidor e Investidor na Itália. Na quarta tem Confiança do Consumidor na França e prévia do CPI na Itália. Quinta, conheceremos a prévia da inflação na Alemanha e na Espanha, índices de Confiança na Zona do Euro e GfK na Alemanha. Sexta tem a prévia da Inflação na Zona do Euro e na França e Vendas no Varejo e Taxa de desemprego na Alemanha.

Reino Unido

·         O destaque esta semana é a fala do presidente do BoE, Mark Carney, amanhã de manhã. A agenda está fraca, com preços das residências e Gfk de Confiança do Consumidor na quinta-feira, e revisão do PIB do primeiro trimestre na sexta-feira.

Mercados e Commodities

·         Na Europa hoje os mercados abriram em alta, após o acordo de resgate aos bancos italianos e os IFOS da Alemanha melhores do que o esperado. DAX +0,83%, CAC +1,09%, IBEX +0,82% e FTSE +0,69%. Na Ásia, as bolsas  também fecharam todas em alta. Os Futuros de NY também indicam abertura otimista.

·         Os contratos futuros de petróleo operam ambos em leve alta, após duas semanas ruins. WTI +0,26% e Brent +0,09%, mas as demais commodities apresentam sinais mistos. As moedas dos emergentes operam em leve depreciação em relação ao dólar.

Artigo Relacionado

Share

Edu Moraes
Edu Moraes

error: Content is protected !!