Morning Call para 14 de Dezembro

14 dez 2017

Brasil

O IGP-10 de dezembro, divulgado esta manhã acelerou para 0,90%, de 0,24% no mês anterior, e acima do 0,81% esperado. O IPA foi o principal componente da aceleração, passando de 0,21% em novembro para 1,22% agora. Aqui, as Matérias Primas reverteram a queda, e passaram de -1,44% para +1,56% e, na classificação por Origem, os Produtos Industriais aceleraram para 1,33%, de 0,15%. O IPC desacelerou, de 0,32% para 0,29% e o INCC permaneceu no mesmo patamar, 0,30%.

Hoje na abertura o mercado deve continuar repercutindo as declarações de Jucá e, posteriormente de Temer, no início da noite de ontem. Agora o presidente deve tentar convencer o mercado de que, no início de fevereiro, terá votos suficientes para aprovar a Reforma da Previdência, uma vez que o cenário de votação antes do recesso já é dado como extremamente improvável.

Estados Unidos

Hoje a agenda americana conta com os dados de pedidos de seguro desemprego (Initial e Continuing Jobless Claims), às 11h30, e as prévias do Markit PMI de dezembro. Para este indicador há expectativa de manutenção nos Manufaturados, em 53,9 e leve aceleração em Serviços, de 54,5 para 54,7 pontos.

China

A China também elevou os juros por lá esta noite. A taxa de 7 dias foi reajustada para 2,5% a.a. e a taxa de 28 dias, para 2,8% a.a.. O movimento foi interpretado pelo mercado como uma resposta à decisão de ontem do Fed, no intuito de manter a estabilidade financeira por lá.

Zona do Euro

Hoje tem decisão do BCE, e a expectativa é que nenhuma novidade seja anunciada, com manutenção da taxa de juros em 0,0% e da taxa de depósito em -0,4%. Mario Draghi deve ser questionado sobre mais dicas em relação ao “tapering” por lá, agora que o cronograma do Banco aponta setembro de 2018 como a data para o final do QE, mas nenhuma surpresa em sua fala é esperada.

Além disso, teve CPI em alguns países da Zona do Euro. Na França, o índice passou a 1,2% YoY, de 1,3% YoY, resultado ligeiramente abaixo da manutenção esperada. Na Itália, o número veio em linha, com inflação de 1,1% YoY. Já na Espanha, a inflação acelerou marginalmente, de 1,6% YoY para 1,7% YoY. Com esses resultados, tudo indica que não teremos surpresas com o CPI da Zona do Euro, na semana que vem.

Na Alemanha teve prévia de PMI, apontando aceleração. O índice Composto teria passado de 62,5 para 63,3 pontos, com melhoras tanto em Manufaturados quanto Serviços. Na França, apesar da deterioração nos serviços (de 60,4 para 59,4 pontos), o aquecimento nas manufaturas, para 59,3 pontos, garantiu resultado melhor do que o esperado para o Composto.

No agregado da Zona do Euro, as prévias do PMI vieram todas melhores do que o esperado: Composto passou de 57,5 para 58,0; Manufaturados de 60,1 para 60,6; e Serviços de 56,2 para 56,5 pontos.

Reino Unido

Hoje também tem decisão do BoE, e, ainda que também não seja esperado nenhum anúncio, com manutenção da taxa a 0,5% e do programa de compras em £435 bilhões, lá o presidente do Banco tem mais perguntas a responder na Coletiva. Isso porque esta semana a inflação por lá chegou a 3,1%, se distanciando muito da meta (2%), e o BoE agora deve explicações ao governo inglês. Ademais, o problema da vez por lá tem sido a disparidade entre a inflação (que tem acelerado parcialmente em resposta a desvalorização da libra por conta do Brexit) e os rendimentos, que tem mantido um crescimento próximo a 2%, processo que vem corroendo o poder de compra dos ingleses e deve ter impactos negativos sobre a atividade.

Além disso, hoje teve Vendas no Varejo por lá, com resultado em novembro melhor do que o esperado. As vendas variaram 1,1% MoM e 1,6% YoY, quando a expectativa era de alta de apenas 0,4% MoM e 0,3% YoY, respectivamente. A mesma tendência foi observada nas vendas excluindo-se os combustíveis. Os analistas atribuem o movimento a um Black Friday melhor do que o esperado.

Mercados e Commodities

Com a elevação dos juros nos EUA ontem já amplamente aguardada, os mercados Europeus aguardam, por enquanto, as decisões de Política Monetária na Zona do Euro e no Reino Unido, mas principalmente as falas de Mario Draghi e Mark Carney em seguida. Na Ásia os mercados operam em leve queda esta manhã, mas os futuros de NY ensaiam abertura em alta. As moedas emergentes operam com sinais mistos.

Artigo Relacionado

Share

Edu Moraes
Edu Moraes

error: Content is protected !!