IPCA (OUTUBRO)

10 nov 2017

O IPCA registou alta de 0,42% MoM , abaixo do previsto pelo mercado (0,49%) e pela CM Capital (0,48%). A medição acumulada em doze meses passou de 2,54% YoY para 2,70% YoY. O índice de difusão, que mede o percentual de produtos que tiveram aumento, passou de 52,14% para 56,68%. Os grupos que contribuíram para o movimento são: Alimentação, Habitação, Vestuário, Saúde e Cuidados Pessoais.

Os preços administrados aceleraram de 0,24% MoM para 0,98% MoM, o acumulado em doze meses avançou de 6,13% para 6,58%. Entre os itens que influenciaram este movimento na margem, energia elétrica acelerou de -2,48% para 3,28%, devido a alteração de bandeira amarela, com custo de R$2 a cada 100KWh, para bandeira vermelha patamar 2, acréscimo de R$ 3,50 a cada 100KWh. O gás de botijão ficou entre as influências positivas no grupo, com alta de 4,49%. Este dois itens, junto com a alta de 0,71% de condomínio, contribuíram para o avanço do grupo Habitação de -0,12% MoM para 1,33% MoM.

A inflação de serviços avançou de 0,50% MoM para 0,37% MoM, em doze meses passou de 4,99% para 4,89%. A inflação de serviços subjacente, que serve para avaliação dos preços mais sensíveis à política monetária e à atividade econômica, subiu 0,25% MoM, no acumulado doze meses desacelerou, de 4,11% para 3,90%. Sobre a desaceleração  de serviços, destacamos passagem área subiu 7,19%, após alta de 21,9% em setembro.

Os preços livres avançaram de 0,14% MoM para 0,24%. Entre as categorias de uso, destaque para bens não duráveis, de -0,37% para 0,01%, consequência do grupo Alimentação,  que desacelerou a deflação de -0,41% MoM para -0,05% MoM. Entre os subgrupos que justificam o movimento estão: cereais, leguminosas e oleaginosas (de -3,55% para -0,08%), tubérculos, raízes e legumes (de -8,16% para 8,33%), hortaliças e verduras (de -3,44% para -0,54%), farinhas, féculas e massas (de -0,87% para -0,27%), aves e ovos (de -0,93% para -0,56%) e leites e derivados (de -1,8% para -1,63%). Na contramão, destacamos frutas (de 1,74% para 0,35%), carnes (de 1,25% para 0,22%) e pescados (de 0,88% para 0,25%).

Os preços dos combustíveis desaceleraram de 1,91% MoM para 0,42% MoM,  gasolina desacelerou de 2,22% para 0,24%, o diesel, passou de 2,11% para 0,71%, enquanto o etanol acelerou de 0,63% para 1,13%. Transportes, de 0,79% MoM para 0,49% MoM, é reflexo da desaceleração desses preços e também de passagem aérea.

Despesas Pessoais passou de 0,56% MoM  para 0,32% MoM, Comunicação desacelerou de 0,50% MoM para 0,40% MoM. Artigos de Residência passou de 0,13% MoM para -0,39%. Educação segue no mesmo patamar, de 0,04% MoM para 0,06% MoM, Vestuário avançou de 0,28% MoM para 0,71% MoM, Saúde e Cuidados Pessoais avançou de 0,32% MoM para 0,52% MoM.

Nosso monitor diário de inflação sugere para o IPCA-15 de novembro, alta de 0,42% MoM.

Camila Abdelmalack | Economista

Cortesia: Capital Markets

Artigo Relacionado

Share

Edu Moraes
Edu Moraes

error: Content is protected !!